Seja bem vindo(a)!

Que a sua visita seja constante e some muitos prodígios ao blog!

Deixe sua sugestão e/ou sua crítica.



“Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”.

As figuras utilizadas nas postagens são originárias do google images.


sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Os três P's - Projeto para 2012


Uma tarde chuvosa e de temperatura amena em São Paulo.
O edredom e os travesseiros me convidavam para um cochilo.
Pousei minha cabeça sobre o cheiroso artefato e o calor da coberta me fez adormecer.

Quando abri os olhos já se passavam das quatro horas da tarde.
Preparei um delicioso cappuccino com sequilhos e fui para a sala de inverno, com caneta e papel em punho para, mais uma vez, dar vazão à imaginação.

O assunto que me veio em mente foram os três P's.
Como assim?

Foi assim...

Há alguns dias, li sobre as virtudes do ser humano e, por algum motivo, sem ser especial, fixei-me na paciência, na prudência e na persistência.

Para ser fiel ao seu significado fui ao dicionário buscar o sentido correto dessas  palavras.
É sabido que conhecemos o que cada qual quer dizer mas, não custa nada sermos um pouco científicos.

A paciência é a qualidade de quem sabe esperar. É a virtude que consiste em suportar.
A prudência é a qualidade de quem age com comedimento, buscando evitar tudo que julga fonte de erro ou de dano. É a cautela e a precaução.
A persitência é a qualidade de se conservar firme e constante. É continuar a ser ou a ficar, perdurar, permanecer sem mudar ou sem variar de intento.


Relendo as propriedades de cada palavra percebi que me faltam todas elas.

Pensei então:
- "Este seria um bom projeto para 2012... conquistar os três P's. - Mas, por quê e para quê eu deveria me empenhar nisso se é muito mais fácil desejar algo material?"

Larguei a caneca e beberiquei o cappuccino.

"Fácil! O porque é que sem as três eu não conseguiria alcançar nada material ou não material...Hum...nada fácil!

Enganei-me! O para quê é que é o problema! Seria um projeto intrínseco!

A paciência, creio eu, seria a mais difícil de ser conquistada, haja vista ser a maior das virtudes.
Filas, stress, correria, como ser paciente neste mundo?
Bem, com ela, conseguiria enxergar melhor o dia a dia e ao meu próximo. Ela me mostraria a vida pelos olhos oriundos do amor.
A ótica de tudo precisaria ser vista pelo ângulo inverso.

Belo discurso!
Daria uma boa briga!

Para conseguir buscar a paciência precisaria da prudência como aliada para não cometer as gafes corriqueiras do cotidiano que tanto nos maltratam e nos fazem machucar os outros e seria imprescindível a persistência, para que eu não desistisse antes mesmo de começar.

Sabe com é, quando a gente tem algo que dá trabalho arrumamos mil desculpas para não prosseguirmos".

Tamborilei a caneta e terminei minha bebida.
Respirei fundo.
Levantei e aproximei-me da janela.
A chuva ainda corria mansa pela vidraça.

Voltei ao texto e conclui:

"Este é um bom projeto para 2012. Este será o meu projeto para 2012!"

Bia Fernandes

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Ser feliz

Ser feliz...


Felicidade e Paz deveriam ser sinônimos!


Pois,

Só se pode ser feliz estando em paz consigo mesmo.

Se você estiver em conflito,

não faça nada a não ser refletir muito,

até que você consiga chegar ao seu ideal.


Bia Fernandes

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Amar...

Hoje me peguei refletindo sobre o que é amar...

Existem diversas formas de amar, e a conclusão que cheguei foi que:

Amar não é simplesmente dizer palavras mágicas como:

Te amo,

Te quero.

É muito mais do que isso.

Amar é sentir algo imensurável dentro do peito.

É poder somar a sua vida com a vida do ser amado.

É não ser arrogante.

É não competir.

É dividir todos os momentos.

É falar com os olhos.

É respirar.

É sorrir.

É compartilhar.


Bia Fernandes

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O maior segredo

O maior segredo da existência humana

 não consiste em apenas viver,
mas,

em encontrar um motivo

para viver

plenamente!

Bia Fernandes


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Acredite!

A C R E D I T E!

Você é importante para você e para alguém.

Importar-se consigo e importar-se com alguém é a real razão de você estar vivendo.

Tem dúvidas disso?

Olhe ao seu lado.

Olhe ao seu lado e verá que existem "outros alguéns" que precisam  de você e se importam com você.

Acredite!


Bia Fernandes

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Carta ao Papai Noel


Querido Papai Noel,

Acordei hoje com muita vontade de Te escrever.
Já não sou criança para acreditar que o Senhor desce pela chaminé, mas também não sou grande o suficiente para não acreditar que Você não exista.

Sei que o Senhor está muito ocupado e prometo que serei breve.

Para este Natal que está chegando, queria pedir:

Um par de patins da Traxart,
Uma joelheira nova,
Um perfume Dolce & Gabana,
Uma viagem,

Sei lá mais o que....rs (risos).
Ah, que nada a ver Papai Noel, acho que essas coisas eu posso comprar lá nas lojas  né?
Faço um parcelamento no cartão de crédito, faço uma poupança e pronto!


Ah, Papai Noel, já estava me esquecendo de pedir também o que realmente preciso:

Paz,
Amor,
Amizade,e,
Lealdade.

Papai Noel, gostaria também de te pedir que me presenteasse com:

Paciência, para encarar os revezes do dia a dia.
Sabedoria, para compreender o que acontece ao meu redor.
Discernimento, para poder tomar a melhor decisão e,
Fé, para crer cada dia mais no Senhor.

Feliz Natal Papai Noel!
Feliz Natal Mundo!

Bia Fernandes


PS.: Convido a todos a escrever uma cartinha para o Papai Noel.
Abaixo coloquei um modelo. Gostaria de publicá-lo neste blog.
Voce pode deixá-la como comentário ou enviá-la por email, no endereço: biapakai@hotmail.com.
Estarei aguardando.

Carta ao Papai Noel



Querido Papai Noel,
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Refletindo sobre as tecnologias na educação

Reflexão:

 “Ninguém educa NINGUÉM, ninguém educa a SI MESMO, os homens se educam entre si, MEDIALIZADOS pelo mundo”.PAULO FREIRE(1987) em Utilização de Tecnologias de Informação e Comunicação na Alfabetização de Jovens e Adultos de Maria Luiza Pereira Angelim. Disponível em:http://www.forumeja.org.br/book/export/html/591.Acesso em 25/10/2011.




O contexto atual nos leva à reflexão sobre a educação e os meios tecnológicos para ela e para a vivência no cotidiano.
Não se trata de “americanizar-se”, “europear-se”, de “africanizar-se”, de “asiatizar-se”, enfim, trata-se de evoluir conforme nos é solicitado e permitido.
Trata-se de observar o que está ao nosso redor e aprender ou não com isso.

Óbvio que tudo depende do olhar o qual disparamos na direção desta evolução.
Tudo depende do sentido que essa evolução fez, faz e fará para a vida do cidadão brasileiro.
Tudo depende do quanto essa evolução influenciará na vida, nos costumes e na cultura deste indivíduo.

Para se utilizar dessa tecnologia de informação e comunicação na qual nos integra ao mundo e nos promove ferramentas estratégias para o processo ensino-aprendizagem, não se faz necessária o esquecimento de QUEM SOMOS, como nação. Não se faz necessário o esquecimento do que carregamos em nossa BAGAGEM CULTURAL.

Faz-se necessária a fome do conhecimento discernido. A fome por letramento. A fome pelo entendimento.
O “não” dito à evolução e às novas tecnologias não nos farão menos cidadãos ou menos indivíduos, pois, isto, de ser cidadãos, está dentro de cada um de nós.
Como dito por Paulo Freire, porém em outras palavras, somente se LIBERTA quem se quer libertar. Somente se liberta quem está disposto a não aceitar as AMARRAS de qualquer imposição, seja ela de instrução, emocional ou profissional.

Portanto, a educação para todo cidadão brasileiro, sendo ele criança, jovem ou adulto deve incluir a utilização de tecnologias, ferramentas e comunicação para a sua alfabetização, mas, nunca se esquecendo de nossa cultura pessoal, regional e nacional.
Somente assim, respeitando o outro e seus conhecimentos é que conseguiremos ter uma nação verdadeiramente culta e ciente de seu valor.


Bia Fernandes





quarta-feira, 1 de junho de 2011

Seja você!

" Ser feliz é se aceitar do jeito que se é, não se deixando interpelar pela vontade dos outros.

O respeito por si mesmo é uma das coisas mais difíceis de se manter na convivência em sociedade".

Bia Fernandes

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A PESSOA HUMANA NA ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA


            Afinal,
[...somos capazes de analisar, compreender e discutir as influências da sociedade atual em nossas vidas e a maneira de como construir uma nova forma de agir com nosso próprio eu, com os outros e com o mundo em que vivermos...] (Ceuclar, guia de disciplina de antologia teológica,Batatais,2010).

            Será?
            Estamos preparados para a divina e difícil experiência de conhecer o nosso Eu interior?
            Estaremos , nós, conectados, após esta analise, ao mundo e aos nossos preceitos, desejos e decisões?        
            São pequenas questões como estas que a Antropologia Teológica nos auxilia e nos permite galgar o caminho do conhecimento e do autoconhecimento, para que, possamos ir de encontro às nossas reais realizações.
 Eis que surgem então novas e profundas indagações como:
[... 1ª) O que eu posso saber? 2ª)  O que devo fazer?3ª) O que posso esperar? 4ª) O que é o homem?...] (Kant, I, Lógica.25A)
         O homem, na antropologia teológica é a representação do todo, ou seja, um ser indivisível e pleno, com capacidade de aprender e compreender sobre si próprio e sobre o mundo que o cerca.
      Através da história, grandes pensadores como Aristóteles, Platão, Santo Agostinho e Santo Tomás de Aquino criaram suas teses sobre o “ser homem”.
      A pauta estendeu-se aos campos da metafísica, da moral e da religião, em busca de uma ou várias respostas plausíveis e coerentes.
      Podemos então perceber a complexidade do homem a fim de transcender em uma utópica viagem ao seu interior e, se possível, resgatar tantas lacunas de pensamento quantas forem suas dúvidas.
      A conclusão mais próxima  fora que o homem é o Eu, o Mundo, Deus  e o Outro.
 Sendo denominado todo, o homem compreende três dimensões para existir que são: a física ou também chamada de biológica, a psicológica ou somática e a transcendente ou espiritual.
Os pontos de vista acerca deste são quatro, e, referem-se oi ponto de vista da Natureza, onde o homem fora concebido através do cosmos. O ponto de vista de Deus, onde fora concebido como sua imagem e semelhança. O ponto de vista do Eu, onde fora concebido na autoconsciência e ainda, o ponto de vista do Outro, onde fora concebido como um ser dialógico.
Sua dimensão física ou biológica está voltada à matéria. É, por intermédio do corpo que o homem se representa e interage com os outros seres vivos e com todo o mundo em que vive.
            Seu estereótipo é correspondente ao círculo da sociedade em que convive, sendo, muitas vezes, vítima do mesmo e esquecendo-se de suas próprias características para se transformar em apenas uma “casca imposta por essa sociedade”.
         A dimensão psicológica ou somática, diz respeito à alma. É a alma que dá a vida ao indivíduo.                    
            A alma é a sua substância, a sua essência, o que faz sentir que é um ser único e não duplicável.
            Cada um entra só entra em contato com a sua essência através de si próprio, por sua autoconsciência. Ele subsiste em seu espírito.
            A dimensão transcendente está intimamente ligada à psicológica, onde, liga o espírito do homem ao infinito.

Graças à sua subsistência  na ordem do espírito, o homem é, ao mesmo tempo, um ser fechado em si mesmo, enquanto subsistente, e extremamente aberto e excêntrico enquanto é espírito. Enquanto espírito goza de uma abertura sem limites, infinita.(MODIN,B. Definição filosófica da pessoa humana. EDUSC, Bauru, 1995 p.26)



            Quando em comunhão com a transcendência, o homem torna-se pleno, porém, quando ocorre de viver de forma antagônica a isso, mostra-se escravizado pelo mundo.
A  afirmativa neste título nos mostra que o homem é um ser complexo. Podemos  dizer isso, pois está relacionado com seu interior e seu exterior.
            Como dito anteriormente, o seu próprio Eu está conectado com seu próximo, com o mundo e com Deus.
Partindo do princípio ontológico que Deus nos criou a sua imagem e semelhança, podemos referi-lhe
como um ser único ou trino, como Santo Agostinho nos mostra na Santíssima Trindade Divina: “O
homem é espelho do Pai na memória, do Filho na inteligência, e do Espírito  no amor”. (MODIN, B.
Definição filosófica da pessoa humana. EDUSC, Bauru, 1995 p.37).        
           
         Cada cultura, cada contexto, nos coloca uma nova ou antiga visão e versão sobre o indivíduo humano, chamado como pessoa.
            É o único ser vivo capaz de raciocinar, refletir, agir e interagir de acordo com os princípios da ética e da moral.
            Tentam delimitar onde é matéria, onde é espírito; onde é inteligência e até qual ponto é sabedoria; onde é um ser finito e onde é infinito.
            O fato primordial é que, ninguém e nada podem traduzir o que é o homem a não ser ele mesmo.
            Vai além ou aquém de nossa compreensão. É um ser vivo, único e  inenarrável; concreto e abstrato; íntegro e falho.

Ousadamente, ainda cito: “ O homem é a glória de Deus no universo, e o é, tanto objetivamente,
como a mais bela de todas as criaturas, como subjetivamente,enquanto cabe a ele dar glória ao
Senhor”. (MODIN, B. Definição filosófica da pessoa humana. EDUSC, Bauru, 1995 p.48).



BIBLIOGRAFIA:
BOCK, A. M.B.;FURTADO, Odair; TEIXEIRA,Maria de L. T. P. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. São Paulo. Saraiva, 2005.
DELL PRETTE, A.; DELL PRETTE, Z. A.P. Psicologia das relações interpessoais: vivências para o trabalho em grupo. Petrópolis: Vozes, 2007.
KANT, I. Lógica. In: MODIN, B. Definição filosófica da pessoa humana. EDUSC, Bauru, 1995 )
MODIN, B. Definição filosófica da pessoa humana. EDUSC, Bauru, 1995
PIVA, Sergio Ibanor. A pessoa: uma análise. Batatais: União das Faculdades Claretianas, 1995.



 Bia Fernandes


segunda-feira, 23 de maio de 2011

O preconceito regional no Brasil

Pensar o Brasil como um país homogêneo é como querer contar os grãos de areia que estão contidos na praia.

Em outras palavras, é surreal, haja vista a sua extensão de, aproximadamente, 8.814.965 km².

Há de se esperar que cada região deste vasto país tenha seus próprios costumes, linguagens e cultura, logo, geram os tais preconceitos.

São vários: de raça, cor, classe social, orientação sexual, nacionalidade, deficiências, religiões, linguisticos e outros.

Cada qual, a seu modo, existe, em maior ou menor intensidade.

Um exemplo clássico dessa afirmativa é o que dizem sobre o carioca ser ocioso, o baiano ser lento, o nordestino resolver tudo na base de sua peixeira.

O preconceito existe pela falta de conhecimento desta ou daquela cultura.

O preconceito existe por haver o julgo.

Com tanto déficit de educação, emprego e saúde, além de moradia e infraestrutura de saneamento que são básicos para a vivência com dignidade do ser humano, seja ele de qual for a região ou mesmo do país, o senso comum impera transformando a união de uma numerosa nação em grupos isolados.

Qual a diferença no produto final do objetivo comum de um povo se existem diferentes cores, raças e religiões nos componentes atuantes do projeto?

Afinal, na Copa do Mundo, todos torcem para o time:  BRASIL e não para times isolados.