Seja bem vindo(a)!

Que a sua visita seja constante e some muitos prodígios ao blog!

Deixe sua sugestão e/ou sua crítica.



“Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”.

As figuras utilizadas nas postagens são originárias do google images.


terça-feira, 24 de abril de 2012

Só a nivelação das calçadas não adianta para a pessoa com necessidades especiais, sejam elas momentâneas ou permanentes!


Só a nivelação das calçadas não adianta para a pessoa com necessidades especiais, sejam elas momentâneas ou permanentes!

Quem vos afirma e confirma esse fato sou eu mesma, Bia Fernandes, acometida de uma lesão e posterior processo cirúrgico ortopédico, sendo acompanhada por minha amiga bengala nos últimos cinco meses e com limitações de movimentos.

A lei das calçadas tem como prima diminuir o impacto de obstáculos que oferecem riscos aos pedestres além de evitar o acúmulo de lixo e entulho jogado pelo próprio cidadão.

"De acordo com a nova lei, é preciso manter a calçada livre para que os pedestres possam circular sem dificuldade. Agora a área destinada para os pedestres não deve ter árvores, lixeiras e postes. Exatamente o que acontece na rua da empregada doméstica Maria Luisa Orlando." Disponível em:< http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/01/nova-lei-das-calcadas-gera-duvidas-em-sp.html> Acesso em 12 de abril de 2012.


"Nova lei As novas regras estabelecem que a responsabilidade pela construção, conservação, reforma e manutenção das calçadas, que antes era apenas do proprietário do imóvel, cabe também ao usuário (locatário) do local, seja ele comercial ou residencial." Disponível em:< http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/01/nova-lei-das-calcadas-gera-duvidas-em-sp.html> Acesso em 12 de abril de 2012.



Para tal feito, a Prefeitura do Município de São Paulo colocou a disposição de todos aqueles que queiram ver, uma cartilha do tipo "Modo de Fazer" juntamente com o valor das multas para os que não se adequarem aos padrões em seu site. Perfeito.

A questão que não me cala é  o por que se precisa chegar a tal ponto para que um ser humano possa caminhar com dignidade nas ruas?

Caros amigos, atrás desta, surgem outras perguntas tão importantes quanto.

  1. Por que nós, com necessidades especiais ou não temos que fazer malabarismos circenses para adentrarmos em locais públicos?
  2. Por que não há maior quantidade de vagas de estacionamento para os necessitados?
  3. Por que, sendo as vagas de estacionamento para pessoas necessitadas tão minguadas, não há um controle de quem pára nelas, pois, cansei de presenciar neste período que precisei utiliza-las, muitos não necessitados estacionando seus automóveis nelas?
  4. Por que os caixas preferenciais em supermercados e lojas em geral são os mais cheios de pessoas a serem atendidas sem fatores de necessidades especiais? Aqueles que realmente precisam vão aos caixas comuns dizendo que é mais rápido, pois, os "normais" invadiram esse espaço, simulando deficiência.
  5. Por que demora-se tanto a conseguir um laudo dos departamentos de trânsito para obter um selo no parabrisas sendo que toda a documentação e , a olhos vistos, há a real necessidade do tal?
  6. Por que um automóvel adaptado, de câmbio automático por exemplo, é mais oneroso do que um com câmbio manual?
  7. Por que, os serviços de reabilitação são tão caros para aqueles que precisam dele sendo que não os faz por luxo e sim por precisão?
  8. Por que um material ou remédio é tão caro?
Se continuarmos com a lista de questões chegaremos a milhões e provavelmente, leremos e refletiremos sobre as primeiras, mas, quando visualizassemos a lista completa, deixaríamos para lá. É mais fácil!


Precisei passar por esta situação  para que meus olhos se voltassem para esse lado da vida e do mundo.

O problema não é de ordem fictícia caros amigos. É pontual.

Somente quando uma lei é outorgada por alguém e faz com que  se coloque a mão no bolso é que se faz algo, e mesmo assim, burlam-se, não as leis, mas a qualidade da vida das pessoas.

O exemplo da lei das calçadas foi utilizada para explanar a respeito. Precisa-se de multas para o cidadão ter o direito de ir e vir com dignidade.

Quanto aos outros pontos que citei, quem irá multar os órgãos de trânsito, os médicos, os lojistas e etc?Quem vai multar o ser humano cidadão de suas atrocidades?

Não, não é assim que conseguiremos dignidade e humanidade para a pessoa humana.

Proponho uma pausa para que você se coloque no lugar de alguém que você conheça que passa por uma situação semelhante as que citei e ouça o que seu corpo ou sua mente falam...

Vitimismos a parte pois, quando se faz esta experiência ele aparece, notem que a situação está a cada dia mais crítica.

Proponho que reflitam sobre a ética e a moral e percebam que somente as duas não são suficientes para convivermos em nosso mundo e convido a colocarem, no mais alto posto desta lista de deveres e normas a seguir, o respeito ao seu próximo.

Ainda mais, convido a experimentarem, muito mais do que o respeito ao seu próximo, o amor a ele, pois, somente quem entende isso poderá fazer a diferença no hoje e, como consequência, no amanhã.

Bia Fernandes















4 comentários:

  1. Bia, excelente a abordagem sobre um problema
    tão sério e que pouca atenção tem das autoridades deste nosso país! Espero que alguma pessoa influente que tenha acesso ao seu blog possa colocar esse seu depoimento em mãos de pessoas que possam se interessar em resolvê-lo.
    De minha parte compartilhei, pois achei a idéia sensacional!Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada. De verdade, gostaria de que alguém fosse não somente influente mas sensivel ao ponto de nos fazer essa gentileza.

      Excluir
  2. Arruma a palavra oneroso, pois só no seu dicionário é com h......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Sr. Anônimo.
      Muito obrigada pela correção, afinal, errar é humano.
      E corrigir o outro (ser humano) é uma ótima mostra de preocupação, carinho e respeito.

      Um abraço

      Bia Fernandes

      Excluir