Seja bem vindo(a)!

Que a sua visita seja constante e some muitos prodígios ao blog!

Deixe sua sugestão e/ou sua crítica.



“Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”.

As figuras utilizadas nas postagens são originárias do google images.


domingo, 13 de abril de 2014

A vida após os 50 anos


Conversando com uma pessoa muito quista por mim, eis que escutei  pérolas de sabedoria:

" - Sabe, passei a enxergar a vida de maneira bem diferente após os meus cinquenta anos. Vejo tudo com mais amor, com mais calma, sinto o descaso das pessoas por eu estar mais lenta, sinto a má vontade dos que me rodeiam, preciso de mais carinho e atenção, dou mais valor à minha família e apego-me mais a Deus...".

Quantas verdades ditas em uma única exclamação, em um desabafo... só o Senhor da Vida sabe o quanto me senti feliz por ter a oportunidade de conversar com ela.

Em filmes projetados nas telinhas e nas telonas são pintadas situações onde o carinho e os cuidados aos mais velhos  são contos de fadas, mas, infelizmente, a realidade é outra. Podemos contar, talvez nos dedos das mãos e dos pés, as vezes que presenciamos condições de respeito aos nossos idosos. Cito, por exemplo, um idoso no metrô ou num ônibus. Indivíduos mais novos sentam-se no assento reservado/prioritário e não saem quando chega um idoso, um deficiente ou uma grávida.

Pois bem, volto ao ápice deste texto.

A idade avança. O relógio não se faz amigo.

" - Quando a gente vai envelhecendo, começamos a pensar em quanto tempo nos resta nesta vida...".

Mais uma sábia verdade, porém, traço uma visão positiva de tudo isso. Para cada momento vivenciado neste nosso caminho há um significado. Uns vivem como se cada momento fosse único, outros como se fosse o último e eu, caros leitores, vivo cada momento como se fosse o primeiro.

Claro, cada minuto e cada piscar de olhos é único e cada cena captada por nossos olhos e guardada em nossa memória é única, contudo, coloco-as como se fossem as primeiras. Por que? Simples. Permeio meu caminho como se, cada dia, fosse o início. Estranho não é? Nascer todos os dias...Não existir passado e futuro...só o agora.

Aprendi com um Sensei que estar presente em cada momento por nós vivido é  a única maneira de estarmos felizes por inteiro.

A idade avança. O relógio é meu amigo.

Cada pequeno movimento do ponteiro dos segundos me faz mais plena. Amiga, amigo, estou aqui. Não importa a sua idade ou a minha. Envelhecer significa estar no caminho. Que possamos desfrutar o dia a dia que nos é proposto pelo Senhor com muita fé, alegria e otimismo, e se, as armadilhas do pessimismo aparecerem, olhe à sua volta. Há pessoas que estão ao seu lado e que te podem estender a mão e o coração.


Bia Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário